quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Acostumaram a fantasia...

         Eu não sei por que quem brinca de pobreza acostumou na fantasia. Quem conhece esse bravo retumbar por entre esse chão, pedaço de vida mal cuidada, sabe que a força do Napoleão retinto vai além do retirante.
         Antes soubessem a força do exemplo. O certo a ser seguido. O conhecimento transborda para aqueles que o querem. Mas o que temos aprendido fazendo errado?
Eu não sei as respostas, mas tenho procurado as perguntas certas...É a chuva que vai salvar essas flores no deserto?
          Que seja, mas a água que tem caído é acida. A ideia vazia de ação. Teoriza-se ou terroriza-se?
       Antes o desatino a submissão voluntária. Aprendemos com os grandes e façamos maior que eles. Já fomos por muito tempo gigantes, chegou a hora de pisarmos nos ombros destes!

2 comentários:

Crisneive Silveira disse...

Muito bom o texto Fidel! Viver na fantasia é escolha. Mas fato que a humanidade pode e deve buscar a própria transformação. E ela vem com o primeiro passo de ter consciência que é preciso haver mudança. Feito isso, a ação! Pensar, problematizar e agir apesar das dificuldades, apesar da própria humanidade se negar a chance de ser seu próprio agente transformador.

~ Rosi disse...

agir é co-mover! potencializar a mudança com vida, com proximidade (exemplos que saíram da própria comunidade). E isso tudo buscando a autonomia de cada sujeito. O desejo de mudança antes de ser nosso, tem que ser do outro.